Governador recebe nova diretoria do Sindiavipar e reforça apoio do Estado ao setor

Destaques Politica

O governador Carlos Massa Ratinho Junior recebeu nesta segunda-feira (27), no Palácio Iguaçu, a nova diretoria do Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas do Estado do Paraná (Sindiavipar). O diretor da empresa Globoaves e até então tesoureiro do sindicato, Roberto Kaefer, foi eleito para presidir a entidade no triênio 2023-2026, sucedendo a Irineo da Costa Rodrigues no cargo. A posse foi realizada na manhã desta segunda na sede do sindicato.

No encontro, foram abordados assuntos como a adoção de estratégias para a expansão do uso de energias renováveis e armazenamento de água, projetos para a área de infraestrutura e logística, questões tributárias e novos financiamentos. Os representantes do setor apresentaram ao governador os objetivos e ações para os próximos anos.

Ratinho Junior falou sobre as iniciativas do Estado em andamento e programas que podem impactar a produção avícola. Segundo o governador, o Estado está à disposição para contribuir com o impulso o setor e atrair ainda mais investimentos. “Queremos criar um ambiente político e econômico para que o setor continue investindo e possa se fortalecer cada vez mais, com linhas de crédito com os nossos bancos e um trabalho para o fortalecimento da cadeia. De nossa parte há total abertura para o diálogo. Temos interesse inclusive que o setor expanda a produção para regiões ainda não atendidas no Estado”, disse.

O novo presidente do Sindiavipar destacou a parceria entre o Estado e produtores avícolas. “Já participei da diretoria do Sindiavipar e tivemos muitos encontros com o governador e os secretários, reivindicando uma série de medidas e sempre somos atendidos. Falamos de energia, de estradas, de uma série de coisas que cabem ao governo nos ajudar e sempre somos bem recebidos e atendidos”, ressaltou Kaefer.

De acordo com o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, o encontro serviu para ampliar ainda mais as possibilidades de parcerias. “São temas importantes que a cadeia traz para continuar existindo como um ramo forte da nossa atividade econômica”, disse Ortigara. “Hoje são mais de 45 quilos consumidos por habitantes no ano. Atualmente são 95 mil empregos diretos no chão de fábrica todos os dias abatendo e processando frango, fora as propriedades rurais. O Estado com a sua visão estratégica pode ajudar o setor a superar possíveis dificuldades e a continuar crescendo exponencialmente”.

NÚMEROS – No Paraná, o Valor Bruto de Produção (VBP) da avicultura é de R$ 33,1 bilhões, atrás apenas da soja. O Estado é responsável por cerca de 34% da produção nacional de frango e por 40% da exportação brasileira. O Brasil é o maior exportador mundial dessa proteína.

O Paraná atingiu em 2022 o maior volume de produção de carne de frango da história. Foram mais de 2 bilhões de aves produzidas no Estado, mais de um terço da produção nacional no último ano, de pouco mais de 6 bilhões de unidades.

Enquanto a avicultura vem sofrendo oscilações no Brasil nos últimos anos, no Paraná o crescimento é constante e se mostra sustentável desde o início da série histórica do IBGE, que começou a medir os níveis de produção a partir de 1997. Os produtores paranaenses ampliaram continuamente sua participação nos resultados nacionais, passando de 19,8% para 33,5% do total de carne de frango que abastece os mercados interno e externo.

AÇÕES NO AGRO – Nos últimos anos, o Governo do Estado realizou uma série de ações para beneficiar o setor. Uma delas foi o programa RenovaPR, para apoiar a geração distribuída de energia elétrica a partir de fontes renováveis e de biogás e biometano em unidades produtivas rurais. A iniciativa consistiu na utilização de linhas de financiamento e equalização de taxas de juros; incentivos tributários e de aproveitamento de créditos; um cadastro público de empresas e profissionais habilitados à elaboração e execução de projetos; entre outras ações.

Em pouco mais de três anos, o Governo do Estado também pavimentou 1.000 quilômetros de estradas rurais com pedras poliédricas ou com blocos sextavados em todo o Paraná, totalizando cerca de R$ 304 milhões em investimentos, pensando em aumentar a competitividade da agroindústria paranaense. Paralelamente, o programa Estradas da Integração, coordenado pela Secretaria estadual da Agricultura e do Abastecimento (Seab), abriu cerca de 25 mil postos de trabalhos, entre vagas diretas e indiretas, segundo estimativas da pasta.

Há, também, ações para o fomento da atividade por meio do programa Banco do Agricultor, com linhas de financiamento para irrigação, aquisição de equipamentos para produção de energia renovável, entre outros.

PRESENÇAS – Participaram da reunião o vice-presidente do Sindiavipar, José Antônio Ribas Junior, e o diretor executivo, Inácio Afonso Kroetz; o presidente da Associação Brasileira da Avicultura Alternativa (AVAL), Marcos Aparecido Batista; o presidente do Conselho Administrativo da GTFoods, Ciliomar Tortola; a gerente executiva de Relações Institucionais e Governamentais na BRF, Helena Araújo; o prefeito de Rolândia, Ailton Aparecido Maistro; e o vice-prefeito de Cascavel, Renato Silva.

Fonte.: AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *