Líder nacional: Paraná foi o estado que mais gerou empregos no comércio em fevereiro

Destaques Empregos

O Paraná foi o estado que registrou o maior saldo na geração de empregos com carteira assinada no setor do comércio em fevereiro.

É o que apontam dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, divulgado nesta quarta-feira (29). Foram registrados 2.141 postos de trabalho no setor paranaense.

O resultado é o saldo entre o número de admissões (37.915 trabalhadores) e desligamentos (35.774 pessoas). Atualmente, mais de 689 mil paranaenses trabalham de forma registrada no comércio, de um total de quase 3 milhões de trabalhadores com carteira assinada, de todos os setores.

O desempenho do setor comercial que deu ao Paraná a liderança entre os estados está na contramão do cenário nacional, que teve uma retração de 1.325 vagas. Das 27 unidades da federação, apenas 13 tiveram mais contratações do que demissões no segmento no último mês.

Na sequência do Paraná no ranking nacional, aparecem São Paulo, com um saldo positivo de 1.964, Pará (1.184), Mato Grosso (551), Goiás, (539) e Tocantins (390). Minas Gerais (-1.477), Rio de Janeiro (-3.230) e Rio Grande do Sul (-1.101) tiveram desempenhos negativos.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior ressalta que os resultados do Caged confirmam o bom momento da economia do Paraná. “Junto com os serviços, o segmento comercial é o que mais gera empregos, representando em torno de quase 60% das vagas que existem no mercado de trabalho. Portanto, é muito importante que o comércio esteja aquecido, ampliando as suas contratações”, afirmou.

Entre os municípios paranaenses, quem liderou as contratações foi Curitiba, com saldo de 326 novos empregos, seguida por Maringá (158), Colombo (121), Guarapuava (110), Cambé (95), Fazenda Rio Grande (69), Sarandi (62) e São José dos Pinhais (61).

Desde o início da série histórica do novo Caged, em janeiro de 2020, o setor do comércio do Paraná registrou saldos anuais positivos. Nos três últimos anos, as empresas instaladas em todo o Estado registraram 68.200 admissões a mais do que desligamentos com carteira assinada no segmento.

EMPREGOS GERAIS – Os números do comércio ajudaram o Paraná a se destacar no saldo geral de empregos formais gerados em fevereiro, com mais de 24 mil vagas. Os números fizeram com que o Estado fosse o terceiro do ranking nacional no mês, atrás apenas de São Paulo (65 mil) e Minas Gerais (30 mil), que possuem populações muito maiores. Os outros segmentos econômicos analisados pelo Caged são serviços, setor no qual o Paraná teve um saldo de 16.997 empregos, indústria (2.543), agricultura (1.222) e construção (1.178).

O secretário de Estado do Trabalho, Qualificação e Renda, Mauro Moraes, citou outros indicadores que corroboram com a política de fortalecimento da empregabilidade no Paraná. “Estamos seguindo à risca a determinação de fazer do Paraná o Estado de maior empregabilidade do Brasil. Já ocupamos o primeiro lugar através da Rede Sine (Sistema Nacional de Emprego). No Caged, ultrapassamos o Rio de Janeiro e chegamos ao terceiro lugar geral, e no segmento do comércio superamos São Paulo”, apontou.

Fonte.: AEN

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *