Dengue: 17 cidades do Paraná estão em situação de emergência por conta da doença; veja quais

Destaques Paraná

Até esta segunda-feira (4), 17 municípios paranaenses já decretaram situação de emergência por epidemia de dengue, conforme a Defesa CivilVeja lista abaixo.

De acordo com o órgão, o decreto ocorre após o município perder a capacidade de atendimento nas unidades de saúde pelo número elevado de casos.

Os casos de dengue no Paraná aumentaram quase 20 vezes nos dois primeiros meses de 2024 quando comparados com o mesmo período de 2023, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa).

No ano anterior, foram registrados 2.510 casos em janeiro e fevereiro. Este ano, no mesmo período, o número foi para 49.378, um aumento de 1.867,3%.

Nesta segunda, de acordo com o boletim da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), são 58,5 mil casos confirmados da doença e 23 mortes.

Veja lista de cidades abaixo:

  • Dois Vizinhos
  • Lidianópolis
  • Boa Vista da Aparecida
  • Quedas do Iguaçu
  • Cascavel
  • Quinta do Sol
  • Ivaiporã
  • Três Barras do Paraná
  • Palotina
  • Santa Lúcia
  • Espigão Alto do Iguaçu
  • Moreira Sales
  • Santa Izabel do Oeste
  • Paranavaí
  • Capitão Leônidas Marques
  • São João do Ivaí
  • Antonina

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou que não determina se o município está ou não em epidemia de dengue. Disse ainda, em nota, que o próprio município que avalia a situação.

Falou também que “monitora as cidades com maior número de casos, porque o cenário epidemiológico muda muito rapidamente”.

Quais os sintomas da dengue?

A dengue é transmitida pela picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectada com o vírus. Após a picada, os sintomas podem aparecer em até 15 dias, segundo a Secretaria de Saúde.

Normalmente, a primeira manifestação da dengue é febre alta (39°C a 40°C), que dura de dois a sete dias, acompanhada de dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos.

A dengue pode provocar também: manchas no rosto, tronco, braços e pernas. Os pacientes podem ter ainda perda de apetite, náuseas e vômitos.

Fonte – G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *